O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta terça-feira a Confederação dos Agricultores de Portugal como Membro Honorário da Ordem de Mérito Empresarial, na vertente Agrícola.

“A CAP é um parceiro social para o nosso futuro coletivo.

[Os seus fundadores] percorreram caminhos penosos para ultrapassar tradições corporativas e rejeições difíceis, até ganharem espaço vital e, mais tarde, espaço negocial e estratégico.

Este já longo passado de 44 anos foi vivido, desde o início, sempre contra o vento e, muitas das vezes, no meio das condições mais adversas.

É-lhe, por isso, devido um gesto de gratidão nacional.

Gesto que hoje assumo condecorando a CAP com o título de membro honorário da Ordem de Mérito Empresarial, na vertente Agrícola”, anunciou Marcelo Rebelo de Sousa, no final do discurso que proferiu no encerramento do Conselho de Presidentes da CAP, que decorreu esta segunda e terça-feira, para comemorar o 44º aniversário da Confederação, nascida a 25 de novembro de 1975.

Esta distinção, que constituiu uma surpresa para os dirigentes da CAP, foi o momento alto do evento que acolheu, em Tomar, mais de 300 dirigentes associativos da CAP, num fórum de reflexão sobre a Agricultura Portuguesa e os seus desafios para o futuro.

O Presidente da República afirmou que nesta década a “Agricultura mudou muito e para melhor” e que  “independentemente das razões de conjuntura que, em cada momento, condicionam ou aconselham uma arrumação de pelouros diversa, não há uma Política Agrária global que não envolva a Agricultura, as Florestas e o Desenvolvimento Rural”.

Marcelo Rebelo de Sousa lembrou que não se pode “minimizar” a Agricultura, um sector “vital”, muito importante para as exportações e para a economia portuguesa.

Marcelo Rebelo de Sousa encerrou assim este Conselho de Presidentes, um evento que aconteceu pela oitava vez na história da CAP e que celebrou o passado de 44 anos da organização e o papel fundamental dos Agricultores na luta e consolidação da democracia portuguesa.

Ao longo dos dois dias (25 e 26 de Novembro) foi apresentado o extenso trabalho que a Confederação tem desenvolvido nas suas diversas vertentes, incluindo as dezenas de grupos de trabalho em que a CAP está envolvida, não só no Ministério da Agricultura, como também no Ambiente, Trabalho, Economia, Finanças, Saúde ou Educação.

O papel de acompanhamento e apoio técnico aos Agricultores também foi sublinhado, assim como as diversas ações de promoção e de sensibilização para o mundo rural de que a CAP é promotora, sem esquecer as intensas atividades que desenvolve em Bruxelas, onde tem representação permanente desde 1986.

Fonte: CAP